publicado no dia 17.07.2018, por: Tais Semensato

Entenda porque contar uma boa história é muito melhor do que contar vantagem.

Seres humanos amam histórias! Nossa capacidade de construir um diálogo e transmitir uma mensagem foi fundamental para perpetuar culturas e desenvolver nossa sociedade.

Somos ótimos ouvintes e grandes contadores, procuramos naturalmente ligações emocionais para validar ideias, e histórias são recursos extremamente emocionais. Por que, então, não utilizar isso no marketing?

É isso que faz o Storytelling, contar histórias para convencer o público a comprar seu produto ou criar afeição pela sua marca, de uma forma bem menos invasiva que a propaganda em geral.

Mas ok, não é simplesmente “contar histórias”, pense que ao invés de apenas mostrar seu produto/marca e citar suas vantagens você demonstra isso através de uma narrativa mais elaborada.

Criar um contexto, um cenário, dá sentido para a informação que você quer passar, afinal, no storytelling ela tem a função de ajudar alguém a solucionar um problema, nada nesta mensagem está ali à toa.

É importante utilizar personagens que se aproximem do seu público-alvo, assim é mais fácil criar identificação, e quando um ser humano se identifica com a situação do personagem, transforma ela na sua própria experiência, gerando muito mais engajamento e lembrança de marca.

 Busque, sempre que possível, contar histórias verdadeiras, mesmo com personagens fictícios, mas com diálogos possíveis, em que o conflito seja resolvido ao final. Isso faz com que o ouvinte receba como uma mensagem autêntica, algo que realmente poderia ter acontecido com ele, e, logo entende que a sua marca/produto é também a solução para o que ele precisa (o próprio conflito que você relatou no storytelling).

Para contar histórias plausíveis, é necessário entender muito bem quais os problemas do seu público-alvo e como os benefícios de sua marca/produto podem ajudá-lo.

Apesar de tudo, procure não florear demais, conte histórias simples e com recursos criativos. Abuse também do audiovisual sempre que possível e mantenha a mensagem enxuta.

 

Veja que o storytelling é um processo de persuasão totalmente emocional, em que você pode ativar gatilhos mentais poderosos no público, desde que o conheça bem, tenha uma narrativa bem construída e condizente com a realidade.

E aí… Que história você tem pra contar?