publicado no dia 12.07.2018, por: Tais Semensato

Esse título não é intencionalmente apelativo, juro por Deus! Mas falando sério, se você passa a maior parte do dia trabalhando sentado, precisa ler este post:

Um estudo recente da UCLA(University of California — Los Angeles) em adultos de meia-idade e idosos mostrou que hábitos sedentários, como passar muito tempo sentado, estão ligados ao “enfraquecimento” de regiões cerebrais importantes para a memória.

 

O estudo

O objetivo dos pesquisadores era analisar como o comportamento sedentário influencia na saúde cerebral. Os estudos indicaram que sentar-se demais, assim como fumar, aumenta o risco de doenças cardíacas, diabetes e morte prematura.

Foram recrutadas pessoas com idades entre 45 e 75 anos, questionadas sobre seus níveis de atividade física e o número médio de horas que passaram sentados por dia na semana anterior. Cada indivíduo passou por uma ressonância magnética de alta resolução para um panorama mais detalhado da região do cérebro responsável pela formação de novas memórias.

 

Foi observado que o comportamento sedentário é fator significativo no afinamento do lobo temporal medial(região responsável pela formação de novas memórias) e que mesmo a atividade física em níveis elevados não é suficientepara compensar os efeitos nocivos de passar longos períodos sentado.

O estudo não prova que apenas sentar demais causa o afinamento dessas estruturas cerebrais, mas a relaçãoentre esses dois fatos.

Segundo os pesquisadores, o afinamento do lobo temporal medial pode ser um precursor do declínio cognitivo e da demência em adultos de meia-idade e idosos. Reduzir hábitos sedentários pode ser um fator importante para a melhora da saúde do cérebro em pessoas com risco de Alzheimer.

Especialistas recomendam trabalhar pelo menos 2 horas em pé por dia

Agora pare e pense, quantas horas por dia você passa sentado? E há quanto tempo possui essa rotina? Pois é, algumas pessoas abandonaram o hábito de trabalhar sentado durante todo o expediente, também como forma de aumentar a produtividade.

Segundo especialistas convocados pelo Departamento de Saúde Pública da Inglaterra, a indicação é de que pessoas que trabalham em escritórios, por exemplo, passem a trabalhar pelo menos duas horas em pé, durante seu expediente. A recomendação foi publicada em 2015 no British Journal of Sports Medicine.

 

Recomendações gerais

Com base em observações e estudos feitos sobre o tema, os especialistas que criaram as diretrizes chegaram às seguintes recomendações:

– Como dito acima, quem trabalha no computador deve passar pelo menos 2 horas do expediente em atividades em pé. Esse período pode ser estendido por até 4 horas posteriormente

– O ideal é revezar atividades sentadas com atividades em pé. Para isso, é importante ter mesas reguláveis, que se ajustem às duas posições

– Ficar parado em pé por muito tempo pode ser tão prejudicial quando ficar sentado por muito tempo, por isso é importante revezar

– Caminhar algumas vezes ao longo do expediente pode ajudar a aliviar dores e cansaço

 

Alternativas reais

Além do aumento da produtividade e efeitos positivos na saúde a longo prazo, quem adota esse movimento vê melhoras também na postura e circulação sanguínea.

É importante observar as recomendações acima, um dos fatores mais importantes é o ajuste correto da altura da mesa e monitor. No nosso caso, a solução foi uma standing desk, uma estação de trabalho adaptada para uma mesa comum e de altura ajustável. Você encontra vários modelos no mercado e a vantagem é poder facilmente voltar a posição sentado sem precisar trocar móveis ou fazer grandes instalações.

David, sócio fundador da GAS Rocket, é adepto e dono da standing desk mais cobiçada do Nex Coworking Curitiba, deu o seu parecer sobre o assunto:

“Vi sobre o conceito em alguns blogs e artigos de produtividade, sempre relacionando o conceito de trabalhar em pé como útil para o rendimento no trabalho e para a saúde. No início desse ano resolvi comprar para testar se realmente valia a pena e o resultado até aqui tem sido ótimo, especialmente para realizar tarefas que exigem muito foco e concentração. Por utilizar um adaptador e não uma mesa, acaba facilitando para alternar quando o cansaço bate. “ — David Martins

E aí, o que achou da ideia? Se você curtiu, procure saber mais sobre o assunto, teste as recomendações citadas e conte para gente os resultados nos comentários hein! 😉


Referência

University of California — Los Angeles. “Sitting is bad for your brain — not just your metabolism or heart: Thinning in brain regions important for memory linked to sedentary habits.” ScienceDaily. ScienceDaily, 12 April 2018. <www.sciencedaily.com/releases/2018/04/180412141014.htm>.