publicado no dia 27.11.2018, por: Márcio Pioner

Hoje estou a fim de dar dicas de cinema, mas farei de uma forma um pouquinho diferente.

É comum encontrar na internet listas dos melhores filmes, mais importantes e por aí vai, mas quem sou eu na fila do pão para falar sobre cinema? Não sou crítico, não estudei cinema, nem nada disso. Sou apenas um apreciador.

Por isso, farei o seguinte. Todo mundo tem aquele filme que assistiu pelo menos 3928 vezes. Ele não precisa ser o melhor, nem o mais importante na vida, nem o preferido, mas tem um magnetismo que se a gente vê passando na televisão, vai parar o que está fazendo para assistir. Ou até, volta e meia, dá aquela vontade de assistir mais uma vez.

Bom, eu sou o campeão mundial disso e abaixo segue a lista dos filmes que mais assisti na minha vida.

1 — Cidade de Deus

Talvez uma das poucas exceções da lista. Esse filme realmente é muito bom. É FODA! É MARAVILHOSO! DADINHO O CARALHO, MEU NOME É ZÉ PEQUENO. CORRE CABELERA, PARA, PARA O CARROOO, PARA O CARRO (sim, assisti tanto que já decorei todas as falas).

Sem brincadeira, só esse ano, assisti mais de 30 vezes. Está sempre passando a noite e coincidentemente sempre pego praticamente na mesma parte, na hora que a Berenice manda o Cabeleira correr e começa a tocar Cartola.

Acho que todo mundo já viu esse filme. Se você não viu, assiste lá, melhor dica que posso dar para a sua vida.

via GIPHY

2 — Trilogia Riddick

Ok, os filmes Eclipse mortal (2000), A batalha de Riddick (2004) e Riddick 3 (2013) não são geniais, incríveis e muito menos imperdíveis, mas por algum motivo eu gosto bastante. Talvez seja o protagonista ou a temática futurista com uns bichos nada a ver, o fato é que se estiver passando na TV, pode ter certeza que vou assistir.

via GIPHY

 

Se você gosta de filmes do Rambo, Mad Max, Braddock e esse tipo de coisa, acho que vai gostar da trilogia. Se não gosta desse tipo de filme, não perca seu tempo aqui, vai pro próximo da lista

3 — O ataque vermes malditos

Esse filme é maravilhoso (não no sentido cinematográfico da palavra). Volta e meia, quando estou trabalhando em casa ou fazendo alguma outra coisa, ligo o Netflix e deixo esse filme rolando.

via Gfycat

 

Um filme B de terror, com Kevin Bacon novinho, uns bichos nada a ver, algumas atuações toscas e muitos clichês. Ou seja, perfeito para assistir muitas vezes.

O filme deu uma bela sequência:

Tremors (O Ataque dos Vermes Malditos) (1990)

Tremors 2: Aftershocks (O Ataque dos Vermes Malditos 2) (1996)

Tremors 3: Back to Perfection (O Ataque dos Vermes Malditos 3 — De Volta à Perfection) (2001)

Tremors 4: The Legend Begins (O Ataque dos Vermes Malditos 4 — O Começo da Lenda) (2004)

Tremors 5: Bloodlines (O Ataque dos Vermes Malditos 5 — Linhas de Sangue) (2015)

Tremors 6: A Cold Day in Hell (O Ataque dos Vermes Malditos 6: Um Dia Frio no Inferno) (2018)

O problema é que foram ficando incrivelmente mais toscos a cada versão. Então, se quiser se divertir, assista o primeiro. Se quiser fazer seu olho sangrar e perder tempo, veja os outros.

4 —Os deuses devem estar loucos

Eu amo esses filmes. Além de serem simples, didáticos (aprendi muito sobre o Kalahari, animais e bosquímanos) e divertidos, pode-se fazer um puta estudo sociológico sobre eles.

O primeiro filme mostra uma tribo isolada no Kalahari, um grande deserto africano, que certo dia recebe um presente dos céus: uma garrafa de Coca-Cola (na verdade ela apenas foi jogada por um piloto de avião). Esse estranho objeto começa a gerar conflitos e Xixo resolve levá-lo até o fim do mundo para devolvê-lo aos deuses.

O segundo filme conta a história dos filhos de Xixo, que caem dentro de um caminhão de caçadores ilegais e são levados para longe, fazendo com que sei pai inicie uma busca para encontrá-los, passando por muitas confusões no caminho.

São 2 filmes lindo e é impossível não criar afeição pelo protagonista e a vida simples e inocente que ele e sua tribo levam. Assiste lá e me agradece depois.

5 — A sombra e a escuridão

Esse filme é inspirado na história real de 2 leões que aterrorizaram construtores de uma ponte, em Tsavo — Quênia, em 1898. Segundo registros da época, foram cerca de 140 pessoas mortas em apenas 9 meses. Me interesso tanto por essa história que comprei o livro do John Patterson, engenheiro britânico encarregado da supervisão da construção da ponte e uma dos responsáveis pela caça dos leões (mas o livro é em inglês, não manjo muito, então está parado esperando minha boa vontade de aprender essa língua ¯\_(ツ)_/¯).

O filme é bom (tirando alguns efeitos especiais) e conta com Val Kilmer e Michael Douglas (não esse MD, seu zé droguinha).

6 — Em busca do vale encantado

via GIPHY

 

Esse eu tenho que agradecer ao Colégio Madre Imilda. Foram 13 anos estudando lá, e em todos eles, do jardim ao ensino médio, colocaram para assistir pelo menos uma vez ao ano esse filme (acredito até que eles só tinham essa fita VHS lá e as vezes alugavam A missão, para dar uma variada).

Ainda hoje, se passa na TV (o que é raro), eu acabo dando uma olhadinha. E assistir tantas vezes poderia ter criado algum tipo de ranço da minha parte, mas pelo contrário, criou um carinho pelo desenho. A história é clichê e muitas vezes é bem triste. Fala sobre amizade, família, perda de pessoas queridas, fome, superação, busca pelos sonhos e Tiranossauro Rex querendo matar dinossaurinhos.

Se você tem crianças, assista com elas. Se não tem, assista sozinho mesmo. Prepare-se para chorar, rir e amar Litoufut (Littlefoot) e sua turminha do barulho.

7 — Fuga de Alcatraz

Esse é outro daqueles filmes que quando me canso de ficar procurando algo no Netflix, vou lá e coloco ele.

Em quase 2 horas de filme é possível ver uma grande atuação de Clint Eastwood e uma história surpreendente, baseada em fatos reais, que até hoje causa grande curiosidade sobre o destino dos fugitivos.

Filmão, que vale a pena ver e rever.

8 — Escola do rock

Uma das atuações mais fodas do Jack Black, um filme divertido, trilha sonora foda, crianças legais (que junto com animais e velhinhos deixa qualquer filme melhor).

via GIPHY

 

Além de ser um filme gostoso de assistir, o fato de volta e meia passar na televisão ajuda a ser um dos mais assistidos na minha vida. Só esse ano, passou de 10 vezes, fácil fácil.

9 — Homens brancos não sabem enterrar

via GIPHY

 

[cante ao som de Reggae Night do Jimmy Cliff] Weeeeeesley Snipes…

O filme é divertido, tem atuações foda de Wesley Snipes e Woody Harrelson e é muito nostálgico. Além disso, é basquete raiz, de rua, malandragem total, do tempo que no Brasil a galera só conhecia o Chicago Bulls.

Esse é daqueles filmes que gosto de assistir pelo menos umas 2 vezes por ano, dar umas risadas, relembrar as cenas e ficar tranquilão no sofá.

Também não é uma maravilha cinematográfica, mas se você assistir, vai gostar.

10 — Esqueceram de mim

via GIPHY

 

Esse é clássico e acho que a maioria das pessoas assistiu umas 30 vezes. Mas também, todo Natal a globo passa na programação. É parte da santíssima trindade de dezembro: Esqueceram de mim, Roberto Carlos e Simone.

O bom é que é muito difícil enjoar desse filme. Tem bom ritmo, sempre está acontecendo algo engraçado, o personagem principal é carismático e se por acaso enjoar um pouco, tem mais algumas sequências para variar.


E aí, você também tem alguns filmes que assistiu milhares de vezes ou acha que eu poderia acrescentar algum nessa lista? Comenta aí.