publicado no dia 13.09.2018, por: Murilo Chiumento

Planejando suas finanças para não andar para trás.

Quando eu era criança e me reunia com meus primos, dentre todos os jogos de tabuleiros que brincávamos, tinha um que eu mais gostava: “Jogo da Vida”.

 

 

Como o próprio nome já diz, o Jogo da Vida simula as situações da realidade que vivemos; os desafios, a escolha da carreira, relacionamentos e filhos, empréstimos, rendas, o acúmulo de dívidas e as emergências que devemos sempre estar preparados.

“Titia deixou 50 gatos. Pague $ 20 mil para os cuidados”

 

 

Nesse jogo podemos perceber o quanto a vida é feita de altos e baixos e mesmo sendo um jogo com uma boa pitada de sorte, ter um bom planejamento pode fazer a diferença.

As mudanças para melhorar a sua vida dependem dos pensamentos e ações que você escolhe tomar. Nossos planos podem dar certo se estivermos dispostos e concentrarmos esforços para isso.

Se o seu desejo é alcançar maiores resultados, deve mudar as suas atitudes e a sua mente: para alterar o que está visível, antes você deve modificar o invisível. Metaforicamente, você precisa mudar as raízes para colher outros frutos.

Um planejamento financeiro pode se tornar algo divertido e prazeroso se for levado a sério e os resultados geralmente são melhores do que imaginamos.

 

E por que organizar a sua vida financeira?

A resposta é simples: para que você controle o seu dinheiro, e não ele você!

Com a correria do dia a dia e a escassez do tempo, será que vale a pena investir em ações que vão gerar um sentimento de segurança? Estar em paz com o “seu bolso” irá trazer uma tranquilidade que hoje você não tem?

O aperfeiçoamento da organização financeira diminui as suas dúvidas nas escolhas de consumo, trazendo uma maior consciência e uso da sua renda, investimentos e até mesmo das realizações pessoais.

Então devemos parar de procrastinar e enfrentar os problemas de perto, montar um orçamento financeiro e jogar.

 

Vou repassar algumas dicas que me ajudaram ao longo dos anos “brincando” de finanças:

1. Adquirir disciplina para guardar os comprovantes dos gastos ou anotá-los.

2. Organizar seus gastos para ter uma ideia sobre o seu padrão de consumo.

3. Comparar esse padrão do consumo ao longo dos meses.

4. Refletir se suas escolhas estão sendo de qualidade.

5. Estipular alterações para o padrão de consumo em busca de mais qualidade.

6. Policiar suas escolhas para garantir que o seu orçamento seja praticado.

7. Estimar o patrimônio formado ao final do ano — essa é uma de minhas pequenas diversões pessoais a cada início de ano.

 

 

Assim como no Jogo da Vida, você deve chegar ao “DIA DO JUÍZO” com a paz, consciência e tranquilidade de suas ações e sabendo que aproveitou a sua caminhada.

Por fim, tenha uma vida equilibrada, aprenda a poupar, a investir, a gastar com consciência, mas acima de tudo saiba aproveitar e usufruir os bons momentos de sua vida.

Como dizem por aí: se a vida te der limões, faça uma limonada, mas se sua tia deixar gatos, faça deles bons massagistas. =)